uma entrega…uma nova missão…um seguimento de Jesus…um caminho de felicidade…

Foi há 25 anos que, à semelhança de Nossa Senhora, diante da comunidade religiosa, de familiares e amigos, pronunciei o meu SIM: “Eis-me aqui, Senhor!” Foi um Sim de amor como resposta ao amor de Deus por mim.

Chamo-me Maria de Fátima, nasci no seio de uma família cristã e sou a mais nova de sete filhos. Cresci num clima de amor, de simplicidade e de vivência dos valores cristãos. No final do meu percurso catequético senti um grande desejo de continuar inserida na comunidade paroquial em algum grupo, e assim comecei a pertencer ao grupo de catequistas, grupo da Legião de Maria e grupo coral.

“…comecei a sentir necessidade de algo mais…”

Como todas as jovens, também eu tive os meus amigos, gostava de passear, de me divertir…no entanto, havia em mim o desejo de buscar, comecei a sentir a necessidade de algo mais, para além da vida feliz que tinha junto da família e amigos. Algo que me preenchesse, algo mais profundo que desse sentido à minha vida…não sabia bem o quê nem por onde começar a procurar…

Foi no grupo da Legião de Maria que começou a crescer em mim o amor por Nossa Senhora e, a partir de então, comecei a experimentar o desejo de A imitar, de ser parecida com Ela, de dizer sim a Deus “eis-me aqui” … Como catequista fui aprofundando a minha fé, e a minha relação com Jesus começou a ser mais próxima e mais íntima.

só com Jesus a minha vida ganharia sentido…

Gostava muito de estar com as crianças na catequese e de lhes falar de Jesus. Numa das semanas mundiais de oração pelas vocações, ao ler a mensagem do Santo Padre, São João Paulo II, onde o Papa convidava os jovens a não terem medo de perguntar ao Senhor da Messe: “Senhor, que queres de mim?” …esta frase foi muito interpelativa e começou a fazer parte da minha oração diária, na qual muitas vezes perguntava a mim mesma “e se Deus me chama para O seguir? O que direi? Estas perguntas assustavam-me e, ao mesmo tempo, faziam-me experimentar uma certa paz interior e desejo de O conhecer melhor. Fui percebendo que só com Jesus a minha vida ganharia sentido…

A experiência de me sentir e saber amada por Deus, levou-me a desejar responder com amor a esse Amor. Então, o desejo de seguir Jesus, na vida Consagrada, começou a ter mais sentido, a ser mais forte e mais constante na minha vida.

Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a tua Palavra”

Com dezassete anos, participei num retiro de discernimento vocacional organizado pelas Irmãs Escravas da Santíssima Eucaristia e da Mãe de Deus, Congregação à qual hoje pertenço. Foram três dias de muito silêncio, de muita oração e reflexão… foi numa Adoração Eucarística, ao olhar e deixa-me olhar por Jesus, que tudo se tomou mais claro, onde experimentei a presença de Deus muito forte e Ele a pedir-me para O seguir na Congregação das Religiosas Escrava da Eucaristia, para viver em pobreza, castidade, obediência e adoração. Nessa Adoração senti que não poderia ficar calada, que chegava o momento da tomada de decisão, de deixar casa, pais, irmãos e amigos para O seguir. Senti uma paz e uma força muito grande para dizer, como Maria: “Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a tua Palavra”. Ao terminar o retiro, comuniquei às irmãs a minha decisão e solicitei a minha entrada na casa de Formação em Braga.

ser um prolongamento e extensão de Jesus Eucaristia,

adorando-O em Espírito e Verdade

No dia 17 de setembro de 1989 entrei na comunidade formativa. Foi o início de uma nova aventura, de uma vida que quer ser de entrega, pelas mãos de Nossa Senhora… seguir Jesus mais de perto, viver como Ele viveu…ser Escrava da Santíssima Eucaristia e da Mãe de Deus, tendo Maria como mãe e modelo, ser como Madre Trindade, nossa Fundadora, “um prolongamento e extensão de Jesus Eucaristia, adorando-O em Espírito e Verdade.

Paixão por Jesus e Paixão pelo Reino

Hoje, depois de 25 anos de Consagração Religiosa, posso dizer que o Sim Inicial implicou e implica muitos outros “sins” e que a Consagração Religiosa, resposta de amor ao Amor de Deus por mim, excede todos os desejos e “amores humanos” da minha vida. Hoje, posso dizer que sou uma pessoa feliz e que ser consagrada/religiosa a Deus implica escolher todos os dias, em total liberdade, viver a paixão por Jesus e a paixão pelo Reino.

Em dezembro de 2012, dei inicio a uma nova aventura, uma chamada a deixar o meu país, a minha zona de conforto e a partir para outra margem…para outro país, outra comunidade de irmãs e de jovens, outras pessoas, outra cultura, novos desafios…Timor Leste esperava por mim…vim cheia de entusiasmo, fiada na confiança em Deus e no Seu amor… renascer para tantas coisas…escutar Jesus que me dizia: “ Ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa-Nova a toda a criatura! (Mc 16, 15).

nada há a temer quando quem nos espera, no outro lado do mundo, é o próprio Deus!

Aqui estou em Timor desde 2015, a Congregação pediu-me a missão de orientar e animar um grupo de cinco irmãs quatro jovens, candidatas à vida religiosa. Iniciamos uma nova fundação, uma nova comunidade, que atualmente é a casa de Formação, para as jovens Timorenses que desejam fazer um caminho de discernimento vocacional, para descobrirem se Deus a chama à vida Consagrada, na nossa Congregação. Também iniciamos um novo Centro Educativo para crianças do ensino Pré-escolar. À semelhança da Madre Trindade, um novo Sacrário se abriu para receber Jesus Eucaristia, para que Ele seja mais conhecido e amado. “Aproximar as crianças de Jesus Eucaristia”.

Em janeiro de 2018 tive uma nova chamada a partir para outra fundação, uma nova comunidade, noutra zona de Timor…eramos três irmãs e aí começamos a dar os primeiros passos para um novo Centro Educativo, para crianças e jovens. Ali colocamos mais um novo Sacrário/Tabernáculo, para que Jesus seja Adorado, conhecido e amado…

Ao longo destes sete anos de missão em Timor, a minha experiência de missão resume-se em ser presença de Deus junto das crianças, dos jovens e de todas as pessoas com as quais vou contactando, é ser presença de Deus que cuida, qua acompanha, que consola…que ama…esta é a minha missão de Formadora e animadora da comunidade. Termino dizendo: Vale a pena dizer SIM a Deus! Nada há a temer, quando quem nos espera, no outro lado do mundo, é o próprio Deus! Um Deus que é amor, um Deus que só sabe amar e deixar-Se ser amado! Posso dizer que é este Deus amor que me entreguei.

Esta web no utiliza tus cookies para nada.    Ver Política de cookies