As  Constituições são para uma Congregação religiosa equivalentes ao seu livro de vida, o texto que marca as pautas para viver de forma concreta um Carisma.

Os fundadores recebem do Espírito Santo o carisma, o chamamento que Deus lhes faz, para viver o seguimento de Cristo de uma determinada maneira, pondo maior atenção naquilo para o qual são chamados. Esta forma de vida traduz-se depois, para os membros dessa Congregação, na sua Regra ou Constituições. A Igreja é a encarregada de aprovar a nova forma de vida consagrada e as sucessivas renovações que o Instituto tenha que ir fazendo para se adaptar aos tempos. Para as Escravas da Eucaristia, as primeiras Constituições foram aprovadas a 10 de Janeiro de 1949, há 66 anos. Depois daquela aprovação, sofreram duas renovações, a última há pouco mais de dois anos.

Como motivo deste novo aniversário, renovamos a nossa consagração com as palavras que as Constituições nos indicam: “Acolhe, Deus de bondade, a oferta da minha vida que, associada ao dom que Jesus Cristo faz de Si mesmo na Eucaristia, quer ser transformada em oblação total e permanente ao serviço do Reino”.

Que Ele nos conceda ser fiéis, para viver cada dia este compromisso.

 

Esta web no utiliza tus cookies para nada.    Ver Política de cookies