Porque veio a Bilbau a Madre Trindade, Nossa Fundadora?

Corria o ano 1944, anos em que Espanha, depois da Guerra Civil, se recuperava. A Madre Trindade continuava promovendo a nova Congregação, a nossa Congregação… e ela, onde sentia que Deus a queria, iniciava uma fundação onde suas irmãs, também filhas queridíssimas, plantaram um jardim de Deus, um lugar de oração e ação preparado para O adorar em espírito e verdade. Não só literalmente através da adoração eucarística, centro e motor de todos os seus afãs fundacionais, mas também nos demais. Sua opção preferencial era a juventude e a infância. Nas suas filhas, infundia o desejo que desde pequenina a inundava, aproximar do Sacrário as almas das crianças, trazendo-os a Jesus.

Numa viagem que fez de Granada (onde tinha uma comunidade) a Madrid, no comboio coincidiram com umas pessoas com quem, durante o trajeto, se foram dando a conhecer, criando entre si uma relação de amizade. Seus nomes eram: Carmem Perote, bilbaína e vizinha de Deusto, e um sacerdote P. Gregório Martinez Blanco.

Aqui surgiu a chispa do Espírito Santo, Carmem pô-las com o P. Segundo Dias, pároco de Deusto, que estava procurando uma Instituição para atender as crianças da Ribeira de Deusto e cuidar da capela para o culto daquela zona. Desde aquele momento perdido nos anos, já são 75, passaram muitos… choveu, nevou e de tudo. Apesar de tudo isso Deus nos quer aqui. Seguimos o rasto de nossa Madre, ao «querer tudo o que Deus quer».

Artigo Mãe de Deus – Bilbao

Artigo completo AQUI
Esta web no utiliza tus cookies para nada.    Ver Política de cookies
Privacidad